Medida do crime - Revista Consultor Jurídico - 14.05.2008

Excessos em ações causam sensação de impunidade

Fazer operações espetaculares como uso de metralhadoras e algemas para prender acusados de crimes financeiros mostra falta de talento, treinamento e estudo da Polícia Federal. "A PF precisa intimar seus agentes e delegados a voltar à escola." A opinião e do advogado criminalista Antônio Sergio de Moraes Pitombo.

Para o advogado, o exagero que se vê em muitas operações da PF é o mesmo se constata nas denúncias e na tipificação de certos crimes, como o de formação de quadrilha. “É o tipo de crime que infla a imputação e a denúncia, mas que não faz chegar a lugar nenhum”. Depois, as denúncias são todas trancadas porque o Ministério Público não soube descrever a conduta dos agentes, afirmou Pitombo em entrevista ao Consultor Jurídico.

A receita do advogado de apego à técnica e observância ao devido processo penal serve também para a advocacia. Para Pitombo, na advocacia criminal não há espaço para improvisação, não há estrela, clientelismo ou jeitinho. O advogado deve entender qual é o fato, qual é o crime e como defender seu cliente. E ponto.

Veja artigo completo em PDF

 



voltar

© 2014 asp
apitombo@mpp.adv.br